15 de julho de 2012

Carregar marmita, eu?!?! {The art of wrapping with fabric}

Quando eu era mais jovem e morava no Brasil, lembro que muitas pessoas não gostavam de serem vistas na rua carregando marmitas. Mas quem trabalhava longe de casa e não tinha carro, o jeito mesmo era levar o almoço na famosa marmitinha - e sem chance de se sentir envergonhado. Qual não foi minha surpresa quando fiquei sabendo que no Japão desde o perído Edo carregar roupas e mantimentos embrulhados com tecidos é considerado uma arte - a arte do furoshiki.


O ocidente está descobrindo agora essa arte japonesa, dizendo até que o furoshiki é ecológico e estiloso. Uma maneira moderna, bonita, e chique para embrulhar presentes.
Uma pena que muitas vezes nós brasileiros não sabemos valorizar nossa cultura e nossos hábitos, pelo contrário, copiamos palavras e hábitos de outros países. Não me entendam mal, não sou contra a diversidade, pelo contrário, como John Lennon imagino um mundo sem países onde todos viveriam em paz, isso não quer dizer negar ou se envergonhar de nossa cultura, mas sim compreender e respeitar as diferenças e e ao mesmo tempo valorizar o que é nosso.
Bem, deixando a filosofia de lado, achei o maior barato essas marmitinhas e pensar que o mais simples do brasileiro sabe fazer essa arte como ninguém.


Furoshiki is a traditional Japanese wrapping cloth used to wrap clothes, gifts, or other goods, and it is getting a lot of attention lately by the occidental world. I think it is a very stylish, modern, and environmental-friendly way to wrap gifts.

Casa de Retalhos



33 comments:

Angela Bergamaschi disse...

Regina, seu post me fez lembrar da infancia. Criada no interior e ainda em epoca de roça , meu pai muitas vezes levava a marmita em panos de pratos que eram feitos de tecido de sacaria, geralmente sempre com um biquinho de croche ou aquelas franjas tipo macrame que minha avó fazia. Um luxo pensando nisso hj.As vezes eu e minhas irmãs iamos levar a marmita e lembro do cheiro da roça de tomate..rss..era veneno puro,o famoso BHC..bons tempos ...bjos

Lúcia disse...

Ja carreguei muita marmita, sempre fui meio enjoada pra comer, enjoava das refeições servidas na empresa que trabalhavA,ainda não existia vales refeição, e não dava pra comer em restaurantes, então esse era o jeito de almoçar sem gastar muito, mas nunca carreguei a marmita embrulhadinha assim.
Abraços!

Moro em um Kinder Ovo disse...

Hoje eu vi um programa de tv ensinando a fazer as amarrações das marmitas e de sacolas ecológicas. Sempre utilizando pedaços de pano. E estas tradições do Japão são sempre interessantes.

Paula F.P. Simionato disse...

Vai longe o tempo que eu comi de marmita, ainda bem, detsto carregar a matula pra cima e pra baixo, mas que essas roupinhas de marmita são lindinhas...ahhh isso são mesmo...bjks

Valeria Marchello disse...

Olá Regina...saudadinha de passar por aqui!!!!
Adorei o post, muito bacana esse estilo que os japoneses inventaram!!
Até os presentes ficam mais simpáticos embrulhados com furoshiki.


bjkssss flor e tenha uma linda semana!!!

Kika Diniz disse...

Oi Regina, já carreguei muita marmita viu?!! E ás vezes até preferia quando o lugar permitia, pois trabalhei em alguns lugares que o restaurante da empresa tinha uma comida horrível!!rsrs
Eu sempre embrulhei as minhas em paninhos bem bonitinhos, alguns até bordados por mim!
Adorei o post
Bjks

Cris e Nai disse...

Concordo contigo Regina, aqui no Brasil não costumamos valorizar nossas raízes, algo só se torna importante quando vem de fora, também lembro de trabalhadores carregando embrulhos assim na minha infância e também já vi programas de tv hoje em dia mostrando essa técnica japonesa. Vai entender né! Espero estejas melhor, Beijos e ótima semana!

Luiza Mallmann disse...

Pois é menina, acho q isso tudo começou com a venda de alimentos industrializados e de que era chique comer fora, em restaurantes... o fato é q nossa comidinha pode ser muito maus saudável e sabemos a forma como foi manuseada, portanto sabemos as condições de higiene. Muito melhor, né? Já levei muita marmita, hehehe! E hj, adoro preparar o lanche da filhota pro intervalo na escola.. tem coisa melhor q um bolo da mamãe pra esquentar a barriguinha na hora da fome? rs

Beijokinhas e excelente semana!

Luiza Mallmann
decorarsustentavel.blogspot.com

Flaviane Gianoti disse...

Oi Regina, como vai, você está melhor da gripe? Espero que sim!
Achei muito fofo levar a marmita embrulhadinha assim, parece um presente.
Beijos!!!
www.ateliepequeninaartes.com

Schandra Julia Zmijeski disse...

Oi Regina, linda idéia, bem colorida e charmosa, acho que depois o pano do embrulho possa ser usado até como jogo americano. bjs

casa de fifia disse...

BOM DIA REGINA
EU QUANDO MORAVA NO BRASIL, TINHA SUA HORAS DE PAUSA, E DAVA PARA PEGAR O ÔNIBUS E VIR COMER EM CASA,MAS MEU PAI QUE TRABALHAVA LONGE, Jà SAI DE CASA COM A MARMITA DO ALMOçO DEBAIXO DO BRAçO.
ACHO QUE è ECOLOGICAMENTE CORRETO, E COM ESSAS TOALHAS LINDA, FICA ATè CHIQUE.
ESSE JAPONESES SÃO SEMPRE NA FRETE RSRS
BOM INICIO DE SEMANA

BACI

Nina Dias disse...

Regina essa técnica é tão elegante e bonita!bj e boa semana! Nina

simplesmente....fascinante disse...

Bom dia Regina,
aqui:8:35 manhã de segunda nublada,fria e com chuva.
Concordo, nós os brasileiros temos que nos valorizar mais.
Mas...filosofia à parte, esses embrulhinhos são demais, a começar pelos tecidos que eu adoro,pra mim já seria o presente.
Também eu num período de minha vida carreguei marmita, não com esse charme todo, mas era uma delicia porque a mesa ficava cheia de pequenas porções de iguarias e dividiamos os sabores.
bjão e um excelente começo de semana
mari

Leeh Trindade disse...

Que lindo! E super interessante, não sabia dessa arte! E nós brasileiros morremos de vergonha da nossa cultura e ainda copiamos tudo o que vem de fora! Agora todo mundo vai querer carregar a marmita assim! rs

beijos e ótima semana!

Nil Gonçalves disse...

Oi Regina, amore, melhorou da gripe? Espero que sim...
Interessante esse post, é mesmo, quantas lembranças...eu, inclusive, era quem levava marmitas para o meu pai, e andava muito a pé para chegar lá, meus sapatos chegavam a ficar com buracos enorme no solado(naquela época eram de borracha, sintética...)Mas como sempre, uma época feliz!Iam nas toalhinhas de saco branquinho, branquinho...
Os japoneses, com esses tecidos lindos, estampados, também acertaram...

beijinssssss

Carolina Lima disse...

Regina,
com um pouquinho de criatividade e de amor podemos mudar vários hábitos. Essas marmitinhas são uma graça!!

Uma excelente semana!

Beijinhos :**
Carol
www.umblogsimples.com

Myrian disse...

Regina querida,
Muito verdadeiro o que você falou.
Só damos valor às nossas coisas quando vemos que é valorizada por outros.
Só vi uma diferença: os tecidos!
Que tecidos maravilhosos!
Se eu ganhasse um presente embrulhado com um tecido desses, nem faria questão de ter algo na caixa. Podia estar mesmo vazia...
Beijos.

Myrian disse...

Regina,
Esqueci de dizer que já levei muita marmita para o trabalho, mas sempre embrulhada em panos de prato.
Panos de prato do jeito que mais gosto: de saco com biquinho de crochet na beira.
Beijos.

Lia Gloria disse...

Gostei. quem disse que marmita não combina com glamour?!

esses orientais mesmo, estão anos-luz à nossa frente.

Obrigada pelas informações!

bjs

Mari Rodrigues disse...

Lindo!!!
Participe da 2ª Mostra Arte em Foco lá no blog, espero você lá...
Bjos, Mari.

Isabel Cristina Viana Ramalho disse...

Já vi em programas de artesanato na Tv esta técnica japonesa e achei simplesmente o máximo.
Olha, já estou te seguindo e coloquei seu blog na minha lista de blogs favoritos. Amei seu cantinho, viu?
Beijos.

Isabel Ramalho

http://baudaarteira.blogspot.com/

Sonia Guzzi disse...

Acho furoshiki uma graça, mas concordo com você. Precisamos valorizar nossos costumes também.
Gde abraço, em divina amizade.
Sonia Guzzi

Glorinha Fischer disse...

Eu adorei essa amarração, fica uma linda embalagem p/ presente!!!
Beijos
Glorinha

Rosangela disse...

Oi, é aí vc está melhor?

No final do ano passado eu vi na tv uma moça ensinando essa técnica, achei super legal.

Essa amarração dá um toque especial no presente e até nas marmitas.

Bjs

Ana Paula Gervason disse...

Regina querida!

Que carinho especial nessas marmitas, amei essa idéia!

Bjss e uma maravilhosa semana!

http://toutlamour.blogspot.com.br

Jussara Neves Rezende disse...

Regina,
com estes tecidos lindos a comidinha da marmita parece ficar até mais gostosa, né?
Abraço e linda semana!
Jussara

Jussara Neves Rezende disse...

Você melhorou da gripe, Regina? Estranho sair do frio e ficar doente, né? Mas entram em cena os sucos gelados, ar condicionado...
Espero que esteja bem!
Abraço,
Jussara

Jussara Neves Rezende disse...

Regina,
fico feliz que esteja melhor! E digo-lhe uma coisa: acho que vamos nos encontrar um dia e papear bastante, como dignas representantes do sul de Minas... rs. Eu desconhecia essa possibilidade de fazer amizades virtuais que parecem enraizadas há muito tempo, mas a verdade é que pareço conhecê-la e talvez por isso sinto que um dia vamos nos conhecer de verdade.
Quando digo que estou muito longe da sabedoria do sábio do Cairo... é porque também sou apaixonada pelos móveis e objetos que me cercam... e ando meio descuidada do meu lado espiritual. O ideal seria mesmo conciliar os dois.
Seu comentário me fez lembrar de um poeminha que publiquei em 2001. Ei-lo:

Nunca me fiz tão leve,
Tão etérea e transparente,
que de frente a um espelho
nele não deixasse imagem
do que sou fisicamente.

Meu espírito acredita
que é a maior parte de mim,
arroga-se eternidade,
diz que meu corpo passará.
Mas se chego a um espelho...

meu outro eu está lá.

(Especular. In: Minas de mim. Machado.MG: FM, 2001)

É + ou - por ái, não é mesmo?
Bjo&Carinho,
Jussara

Lucinha disse...

Regina,

Já carreguei muitas marmitas em minha vida. Foram elas que levaram a minha alimentação, o que me deu forças pra enfrentar trânsito e um cansativo dia de trabalho.
As minhas não eram arrumadinhas assim, mas sempre levava uma toalha de prato bem limpinha.

Gostei do que escreveu sobre cultura e hábitos.

Fiquei um pouco afastada por falta de tempo, mas estou voltando aos poucos.

Bom aprender sobre a arte do furoshiki. Os embrulhos ficaram lindos e perfeitos.

Beijos

Patrícia disse...

Regina adoro esta idéia de marmitinha.Enfeitada com tecidinho fofo, fica lindo.
Fazer um bolo na marmitinha e dar de presente é lindo eu adoraria ganhar...kkk

bjs
Paty

Olinda disse...

Oi Regina,
Isso é uma volta no tempo.... Durante vários anos trabalhei de turno, com meia hora somente pra almoço, e aí, só mesmo com as marmitas que minha preparava! Saborosas lembranças! Só que não era um pacote tão charmoso assim, era um pano de prato de saco, alvejadinho, com biquinho de croché que ela fazia. Hoje em dia não usamos marmita mais, mas fazemos encontros de família para lanche ou almoço, a gente diz "juntar panelas", e essa técnica do furoshiki vai deixar panelas e travessas muito mais elegantes, com certeza!
Obrigada, amiga.
Abração,
Olinda.

Fazendo Fita /Paris-Que viagem!!! disse...

Oi Regina, obrigada pela visitinha ao meu blog. Estou retribuindo e a-do-rei tudo! Adicionei o seu blog para estar sempre em dia com suas novidades e acho que a gente tem a mesma "estética". Gostamos de reciclar, de colorir, de alegrar! Como você , sou adepta aos paninhos furoshiki que uso também como bolsas e fazem o maior sucesso! Então a gente se vê, né? Abraços, Sulamita.

Andréa disse...

Olá, Regina.
Valeu pela dica! Adoro embalagens reaproveitáveis e versáteis!
No blog Omiyage, que você indicou no post, tem um link para quem quiser aprender a costurar aqueles cantinhos perfeitos na bainha. Tentei fazer em casa e deu super certo!
Um abraço,
Andréa.

Postar um comentário

Adoro quando você deixa um retalinho na minha casa. Obrigada ♥♥♥♥♥♥♥